Coronavírus e Covid 19

Desde que a pandemia foi decretada pela OMS em março de 2020, o medo começou a ocupar um lugar importante em nossa vida. Medos, inseguranças, angustia, ansiedade… As notícias de que não tinha cura, foi algo assustador, e as notícias das TVs nos assustavam mais a cada dia. Mas o TEMPO foi elucidando muita coisa, fomos aprendendo mais e mais. E hoje o panorama é bem diferente e mais animador.

Uma coisa importante que precisa ficar claro é que nem todo mundo que tem o coronavírus, tem a Covid, uma pessoa pode ter o coronavírus, transmití-lo a outras pessoas e não apresentar sintomas, ou seja, não ter a doença covid. Por isto é tão importante que as pessoas continuem a usar máscaras e a tomar todos os cuidados tão orientados e divulgados.

A Covid pode dar sintomas leves , moderados, graves, ou muito graves podendo evoluir para óbito. Não se sabe ao certo porque que tem pessoas que evoluem mal, claro que tem a ver com o sistema imunológico de cada um e as comorbidades (outras doenças) que a pessoa possa ter, mas não é só isto, pois estamos deparando com pessoas jovens , aparentemente sadias, sem nenhuma comorbidade aparente e que evoluem mal e morrem. Estão suspeitando que algo genético possa estar envolvido. Ainda temos muito que compreender sobre este vírus.

A covid é insidiosa, começa com 1 ou mais sintomas e tem uma EVOLUÇÃO, as vezes lenta, as vezes mais rápidamente. Um médico atento, pode suspeitar do diagnóstico no segundo ou  terceiro dia e solicitar o exame correto e iniciar logo o tratamento, acompanhando a evolução.

Hoje se sabe que a doença tem 3 fases, e tratar precocemente na primeira fase onde acontece a replicação viral é muito importante.

Sim, existe tratamento para COVID, e são vários, várias opções. Temos medicamentos Homeopáticos, fitoterápicos, temos ozonioterapia, suplementos de vitaminas e sais minerais, temos até medicamentos alopáticos que estão se  mostrando muito eficazes, como a invermectina e a hidroxicloroquina. Na verdade são tantas opções , que a arte esta em saber escolher a melhor opção para cada paciente e para cada momento.

Acompanhar o paciente no dia a dia, é fundamental. Não apenas para ver a evolução dos sintomas e portanto da doença, mas também como apoio emocional. Eu mesma tive covid, e poder contar com o meu médico me trouxe muita tranquilidade. Pois a Covid não dá apenas sintomas físicos, mas o “estar com covid” também trás medos, inseguranças, angustia, ansiedade, que precisam de apoio e suporte. Muitas vezes ouço do meu paciente que ouvir a minha voz, foi o melhor remédio do dia.

Graças a Deus, TODOS os pacientes que atendi com Covid até agora, evoluiram para a cura, e os poucos que precisaram de internação, ficaram em quarto/enfermaria , não precisaram entubação/ uti, e tiveram alta com menos de 1 semana. Isto me gratifica muito. Me mostrando  que Diagnóstico e tratamento precoce, acompanhamento e apoio emocional, faz toda diferença.

Me coloco a disposição para atender e acompanhar  você  e/ou seus familiares neste momento tão crítico, não apenas relacionado a pandemia, mas cuidar da sua saúde como um todo, afinal ela é nosso bem mais precioso. 

Enema/lavagem intestinal 2

Enema/Lavagem intestinal

Emagrecimento

limpeza de fígado e vesícula

Limpeza de Fígado e vesícula 2

Limpeza de Fígado e Vesícula 1

Diabetes

O diabetes é considerado uma pandemia desde 1940, isto é, uma epidemia amplamente disseminada que afeta o mundo inteiro. Estima-se que mais de 250 milhões de pessoas têm diabetes e, que nos próximos 20 anos, este número deva chegar a 380 milhões.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 10 milhões de pessoas são portadoras da doença e 500 novos casos são diagnosticados a cada dia.

Embora exista uma predisposição genética para desenvolver o diabetes, as verdadeiras causas estão no estilo de vida estressante e na alimentação totalmente equivocada dos dias atuais, rica em carboidratos refinados (principalmente  açúcar e  farinha branca) e  pobre em fibras e gorduras boas.

Do ponto de vista epidemiológico, o diabetes está associado ao estilo de vida ocidental e não é comum nas culturas em que se preserva a alimentação tradicional e nativa. Porém, quando estas culturas trocam sua alimentação tradicional pelos alimentos industrializados, as taxas de glicose aumentam consideravelmente e desenvolvem diabetes em um alto percentual.

Diabetes, portanto, é uma doença decorrente do nosso estilo de vida.

O diabetes vem crescendo no mundo na mesma proporção que aumenta o consumo de açúcar e carboidrato, o Brasil é o maior consumidor de açúcar do mundo percapta, e portanto com certeza será o número um em número de portadores de diabetes, por enquanto ele ocupa o terceiro lugar, os EUA e México ficam disputando entre si os primeiros lugares. 

O diabetes anda de mãos dadas com a OBESIDADE, e hoje já se fala em DIABESIDADE, pois as 2 doenças estão intimamente ligadas, são como “irmãs”. Em geral a obesidade vem primeiro e depois a diabetes, mas muitas vezes começam juntas.

Não temos genética para consumir o que consumimos hoje de açúcar e carboidrato, nossa genética é a mesma dos nossos antepassados que viviam nas cavernas (Período Paleolítico). Eles eram caçadores coletores, portanto comiam vegetais, frutas/castanhas ovos e carne.

Já é comprovado pela ciência que todo animal em cativeiro que altera a alimentação que dispunha na natureza, adoece, não é diferente com a raça humana, e basta olhar em torno para ver a realidade disto.

Os povos que ficam distante da civilização e que comem como seus ancestrais, são povos saudáveis. Mas quando vem para a civilização e alteram seus hábitos alimentares, adoecem.  

Portanto para termos saúde precisamos comer o mais parecido com o que comiam nossos ancestrais.

Curso de Horta – 21/09/2019

Depoimentos das pessoas, do que acharam do curso.

Hipotireoidismo

É uma queda na produção dos hormônios da tireoide – a triiodotironina (T3) e a tiroxina (T4). É o distúrbio mais comum dessa glândula, e vem crescendo de forma assustadora. E no meu ver este crescimento tem muito a ver com INTOXICAÇÃO, por flúor, cloro e bromo, os alógenos do IODO.

E por quê? Porque o flúor, cloro e bromo deslocam o iodo de seu lugar e o ocupam, mas a molécula que tem o flúor, cloro e/ou bromo no lugar do iodo é DISFUNCIONAL. Os exames de dosagem de T3 e T4 muitas vezes não mostram a realidade, porque as máquinas que dosam, não distinguem as moléculas certas (com iodo) das disfuncionais com flúor, cloro ou bromo.

Então você pode ter um exame de T3 e T4 normal, mas ainda assim estar com Hipotireoidismo. Os sintomas clínicos são sempre os mais importantes e devem ser considerados SEMPRE, mesmo que os exames estejam normais.

Outra causa do Hipotireoidismo é a Tireoidite de Hashimoto, uma doença auto imune que como toda doença auto imune, começa no INTESTINO. (leia o artigo “Permeabilidade intestinal”)

Os sintomas de hipotireoidismo são:   Sonolência, ganho de peso e dificuldade para eliminar, cansaço, alterações no humor, falhas na memória, pele seca, intestino preso, unhas fracas, queda de cabelo, dores musculares, pés e mãos gelados, sensação de frio excessivo, anemia, alteração na libido, menstruação irregular, desaceleração dos batimentos cardíacos, colesterol alto, e sintomas de depressão. Se você tem alguns destes sintomas mesmo com exames de T3, T4 e TSH normais você pode estar com hipotireoidismo. Um teste simples que você pode fazer em casa é verificar a temperatura basal, que é a primeira temperatura do dia, ao acordar e antes de levantar da cama. Deixe um termômetro ao lado de sua cama e ao acordar verifique a sua temperatura. Faça isto por 5 dias e depois faça a média matemática, ou seja, soma as 5 temperaturas e divide por 5. Esta média deve estar em torno de 36,5. A tireóide tem várias funções no corpo e uma delas é manter a temperatura corporal que deve ser no mínimo 36,5 (porque as enzimas corporais dependem desta temperatura para funcionarem bem).

Se você tem sintomas e a média de sua temperatura basal está abaixo de 36,5, sua tireoide está hipofuncionante, ou seja você está com hipotireoidismo. Ai é preciso verificar qual a causa e tratá-la, ou seja se a causa é auto imune, vamos tratar o intestino, se a causa é intoxicação, temos que desintoxicar e fornecer as matérias primas básicas para sua tireóide produzir o hormônio (nutrir). Apenas quando não temos respostas com estas condutas, ai sim entramos com  a reposição dos hormônios tireoidianos, mas com os bio idênticos.

As x mesmo tomando os medicamentos para hipotireoidismo, a levotiroxina sódica, um sintético da tiroxina (T4), a pessoa  pode continuar com sintomas da doença, porque o corpo precisa transformar o T4 em T3 (o T3 é que é o hormônio ativo, o T4 é um pró hormônio). Para esta transformação de T4 para T3 é preciso certas enzimas que contém Zinco e Selênio, e se estes minerais estiverem baixos, seu corpo não consegue fazer isto e transforma em T3 reverso, que é o hormônio da hibernação,  ai você não perde peso mesmo, por mais que faça  dietas rigorosas.

Como pode ver o corpo é cheio de nuances e tudo esta intercalado com tudo, uma coisa interferindo na outra. Então, não adianta simplesmente dar um remédio, é preciso ENTENDER o que esta acontecendo no corpo e resolver a verdadeira causa que esta por trás dos sintomas.