Microbiota Intestinal

Publicado Em: 28 dezembro 2016

Microbiota Intestinal

intestino-2

Você sabia que temos mais bactérias em nosso intestino que células em nosso corpo? Isto mesmo, temos 100 trilhões de bactérias e aproximadamente 4 mil espécies diferentes.  Se fossemos considerar por estes números, diríamos que somos apenas “10% humanos”, aliás este é o nome do livro de Anna Collen, que estou terminando de ler, e que junto com outros livros: “ A vida secreta dos micróbios” e “Almanaque de Bichos que dão em gente”  me inspiram neste artigo.

Os chineses há mais de 5 mil anos falam que “a doença começa e termina no intestino“ e hoje a ciência está comprovando a veracidade desta afirmação. Depois do genoma humano, agora os estudos estão voltados para o microbioma, e as descobertas estão se mostrando incríveis.

intestino-3

Temos bactérias amigas que fazem um monte de coisas boas para nós, temos bactérias que apenas convivem ali, comendo alimentos que não digerimos, não nos fazem nem bem, nem mal, e temos bactérias que podem nos fazer muito mal, são as patogênicas. Temos que ter um equilíbrio de 85% de bactérias boas e 15% de bactérias ruins, se este percentual começar a alterar, vamos ter problemas de saúde.

intestino-4Hoje em dia está na moda tomar próbióticos (bactérias boas), mas do que adianta colocar colônias de bactérias boas no seu intestino se você continua a alimentar as bactérias ruins. Bactérias se reproduzem rapidamente, mas quem vai dominar o seu intestino? As boas ou as más? A resposta é: Aquelas que você alimentar! E agora você precisa saber que comer açúcar por exemplo alimenta um tipo de bactéria e comer cenoura e brócolis alimenta outro tipo de bactéria, não preciso nem dizer quem alimenta as boas e as más né?

Você sabia que tem bactérias de pessoas gordas e bactérias de pessoas magras? Pois é, fizeram experiências científicas, colocando bactérias do intestino de ratinhos magros em ratinhos gordos e estes emagreceram, e colocaram bactérias do intestino de ratinhos gordos em ratinhos magros e estes engordaram.

Tem bactérias que produzem uma proteína igual a que nosso fígado produz, chamado fator adipocitário (FIAF), que em última instância controla o armazenamento ou a queima de gordura por atuar numa enzima (lipoproteína lipase). Estas bactérias acabam manipulando ao seu favor a produção ou não desta substância (FIAF). Quando você come açúcar, (que elas adoram), elas suprimem esta substância e você não queima gordura, pelo contrário você acumula gordura. E como não queima mais gordura, daqui a pouco está com fome de novo e claro “fome de açúcar” ou carboidrato, o que dá no mesmo.

Olha as bactérias interferindo na sua vida…

E não fica por ai não, hoje já tem estudos que mostram que dependendo das suas bactérias intestinais você pode desenvolver ou curar doenças.

E pelo número cada vez maior de obesos e doentes, é fácil concluir que nossa sociedade atual está alimentando as más bactérias…

intestino

Mas temos que lembrar que também tem as boas bactérias, tem bactérias por exemplo que ajudam na cura do câncer de próstata, tem outras que ajudam na cura do câncer de mama e assim por diante.

As bactérias podem ser definitivamente nossas amigas e nos ajudar na cura de várias doenças, só precisamos aprender a cultivar as boas (85%) e manter sob controle as ruins (15%)

Muito a se pensar não?