Diabetes

cursos

Dia 14 de novembro é o Dia Mundial do Diabetes. Ele foi instituído em 1991 pela International Diabetes Federation (IDF) (Federação Internacional de Diabetes) em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma resposta ao crescente número de casos em todo o mundo.

O diabetes é considerado uma pandemia desde 1940, isto é, uma epidemia amplamente disseminada que afeta o mundo inteiro. Estima-se que mais de 246 milhões de pessoas têm diabetes e, que nos próximos 20 anos, este número deva chegar a 380 milhões.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, cerca de 10 milhões de pessoas são portadoras da doença e 500 novos casos surgem a cada dia.

Embora exista uma predisposição genética para desenvolver o diabetes, as verdadeiras causas estão no estilo de vida estressante e na alimentação totalmente equivocada dos dias atuais, rica em carboidratos refinados (principalmente o açúcar e a farinha branca), pobre em fibras e com grandes quantidades de gorduras saturadas e trans.

Do ponto de vista epidemiológico, o diabetes está associado ao estilo de vida ocidental e não é comum nas culturas em que se preserva a alimentação tradicional e nativa. Porém, quando estas culturas trocam sua alimentação tradicional pelos alimentos industrializados, as taxas de glicose aumentam consideravelmente e desenvolvem diabetes em um alto percentual.

Diabetes, portanto, é uma doença decorrente do nosso estilo de vida atual, assim como a hipertensão, colesterol e triglicerídeos altos, obesidade, gastrite e úlcera gástrica, doenças cardiovasculares, cálculos biliares, e muitas outras, inclusive o câncer.

O que fazer então para manter os níveis de glicose dentro do normal (70 a 100mg/dl) e ficar livre do diabetes e outras doenças? E a resposta vocês já devem saber:  mudar o estilo de vida e a alimentação! Não é fácil, eu sei, pois o mundo de hoje nos induz a correr o tempo todo. Nunca dá tempo de cuidar de nossa alimentação, porém pagamos um preço muito alto por isto: pagamos com a nossa saúde.

Então, acho que está na hora de rever isto e começar a mudança.  Que tal começar a caminhar até a feira,  o mercado e comprar muitas verduras, legumes e frutas, arroz e outros cereais integrais? Quando comemos alimentos integrais, comemos uma quantidade muito menor, pois eles nos saciam mais, e têm muito mais nutrientes. Quando comemos alimentos refinados e industrializados, comemos muito porque eles não nos saciam; têm muitas calorias, mas quase nada de nutrientes. São as chamadas calorias vazias, que engordam e não nutrem. Com elas, nosso corpo ganha gordura extra e ficamos desnutridos.

Hábitos não são fáceis de mudar, mas se pensarmos que é para o bem de nossa saúde, fica pelo menos mais estimulante e desafiador.

Um dia fizeram essa pergunta ao Dalai Lama: “O que mais te surpreende na humanidade”?

E ele respondeu: “Os homens… Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde… E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente e nem o futuro. Vivem como se nunca fossem morrer… E morrem como se nunca tivessem vivido.”

Isto dá o que pensar, não?

Então, que tal se propor a mudar, pensando no hoje, e um dia de cada vez?

O que dá para mudar hoje? Mude!